Cine Ceará 2013

O público cearense pode se preparar para mais uma edição do Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema, evento que já faz parte do calendário cultural de Fortaleza e do Brasil. A 23ª edição do Festival – tradicionalmente realizado no mês de julho – precisou ser adiada por conta da Copa das Confederações e acontecerá de 7 a 14 de setembro, pela primeira vez no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Exibições e palestras acontecem também no espaço da Caixa Cultural, na Casa Amarela Eusélio Oliveira, na Universidade de Fortaleza (Unifor), no Mercado dos Pinhões e na Vila das Artes.
O 23º Cine Ceará homenageará a cinematografia contemporânea de Portugal, trazendo longas e curtas produzidos nos últimos 15 anos e prestando também uma homenagem à atriz, cantora e cineasta portuguesa Maria de Medeiros, que realizará show de abertura e terá uma mostra especial. O anúncio foi feito pelo cineasta Wolney Oliveira, diretor do Festival, durante café da manhã para imprensa e convidados, realizado na manhã desta segunda-feira (19).  Durante a solenidade, também compuseram a mesa o secretário de cultura do Estado do Ceará, professor Francisco Pinheiro, o secretário de cultura de Fortaleza, Magela Lima, e o diretor presidente do Instituto de Arte e Cultura do Ceará, Paulo Linhares.
“A grande novidade desta 23ª edição do Cine Ceará é mesmo a mudança de rumo quanto à temática. Se antes tínhamos temas muito abrangentes, a opção por homenagear um país específico nos permite um foco preciso. E olha que estamos falando de países ibero-americanos que, muitas vezes, não têm sua produção distribuída no Brasil. Então, garimpar a qualidade desse cinema e dar a oportunidade de ser exibido no Brasil passa a ser um compromisso do Cine Ceará”, afirmou o diretor Wolney Oliveira. 
Na ocasião, foram revelados ainda os filmes selecionados para as mostras competitivas. Oito produções concorrem ao Troféu Mucuripe de longa-metragem nas categorias melhor filme, direção, fotografia, edição, roteiro, som, trilha sonora original, direção de arte, ator, atriz e prêmio da crítica. São eles: Se Deus Vier Que Venha Armado, de Luis Dantas (Brasil);Emak Bakia, de Oskar Alegria (Espanha); Olho Nu, de Joel Pizzini (Brasil);Rincón de Darwin, de Diego Fernández Pujol (Uruguai-Portugal); El paciente interno, de Alejandro Solar Luna (México); La Película de Ana, de Daniel Diaz Torres (Cuba); Mercedes Sosa, la voz de Latinoamérica, de Rodrigo H. Vila (Argentina); e Solidões, de Oswaldo Montenegro (Brasil).
Já na Mostra competitiva de curtas-metragens, doze filmes concorrem ao Troféu Mucuripe – nas categorias melhor filme, direção, roteiro, produção cearense e prêmio da crítica: Au Revoir, de Milena Times (PE); ED., de Gabriel Garcia (RS); Em Cartaz, de Fernanda Teixeira (RJ); Jessy, de Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge (BA); Mauro em Caiena, de Leonardo Mouramateus (CE); O Melhor Amigo, de Allan Deberton (CE); O Pacote, de Rafael Aidar (SP); O Pai do Gol, de Luiz Ferraz (SP); O Que Lembro, Tenho, de Rafael Barbosa (AL); Pintas, de Marcus Vinicius Vasconcelos (SP); Quinha, de Caroline Oliveira (PE); e Sanã, de Marcos Pimentel (MG).
A Mostra Olhar do Ceará, composta apenas por produções de realizadores cearenses, também irá agraciar os melhores filmes com premiações especiais. Ao todo, 23 produções foram selecionadas pela organização do evento (consultar programação anexa para saber quais são).
Cinematografia lusa
Além das tradicionais mostras competitivas, o 23º Cine Ceará apresentará ao público uma ampla programação de mostras especiais, seminários e oficinas. Para trazer um pouco da cinematografia portuguesa – que dá tema ao evento – 14 produções, entre curtas e longas-metragens, foram selecionados para a Mostra Portugal Contemporâneo.
O público também poderá conferir o trabalho de uma importante personalidade da cena audiovisual portuguesa, a cineasta e atriz Maria de Medeiros, uma das homenageadas do Festival, em uma mostra especial. A Mostra Maria de Medeiros reunirá filmes dirigidos e/ou interpretados por ela, com destaque para 'Repare bem', filmado recentemente, sobre a ditadura militar brasileira.
Responsabilidade social em destaque
Para cumprir a missão de levar o universo do cinema para o maior número possível de pessoas, o Cine Ceará oferecerá ainda uma série de mostras de cunho social, com o objetivo de levar crianças, idosos e deficientes auditivos e visuais para o cinema. As mostras “Terceira Idade”, “Acessibilidade” e “O 1º filme a gente nunca esquece” reunirão mais de 1000 pessoas em exibições especiais na Caixa Cultural e no Mercado dos Pinhões.
- Mostra Terceira Idade:
Direcionada a idosos, essa mostra representa para muitos a oportunidade de voltar ao cinema, trazendo às salas de exibição obras cinematográficas que pela sua temática despertem o interesse do público de idade mais avançada, proporcionando a este momentos inesquecíveis. Esta mostra acontece desde 2005 e este ano espera um púbico de 360 idosos para a exibição de “Meu pé de Laranja Lima”.
- Mostra Acessibilidade:
A ideia dessa Mostra é facilitar, através de exibições especiais, o acesso ao cinema para pessoas com deficiência auditiva e visual. Ao usar recursos de legendagem e audiodescrição, especialmente desenvolvidos para esse fim, o Festival busca garantir acessibilidade e inclusão cultural a todos que desejem desfrutar da programação do evento.
- Mostra “O 1º filme a gente nunca esquece”:
Criada em 1997, a mostra “O 1º filme a gente nunca esquece” já levou mais de 30.000 crianças de escolas públicas de Fortaleza às exibições do Festival. Este ano, a ação acontecerá pela primeira vez no Mercado dos Pinhões, com intuito de ocupar os espaços públicos da cidade. O projeto tem como objetivo despertar nas crianças o interesse pela sétima arte, destacando a importância do audiovisual como um instrumento a mais na sua formação. Ônibus são disponibilizados às escolas, que lotam o cinema com direito a brindes, pipoca e refrigerantes.
O 23° Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura e do Ministério da Cultura, através da Secretaria do Audiovisual. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e conta com patrocínio de empresas públicas e privadas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (SIEC) e da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet). O evento é apresentado pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e tem patrocínio vip da Oi, Agrícola Famosa e Banco do Nordeste. Conta ainda com patrocínio da Minalba, Aço Cearense e Caixa Econômica e com o apoio cultural da Oi Futuro.

Comentários