Sai Eike. Entra Ivens

Eike Batista é rebaixado na lista dos mais ricos da ‘Forbes’

17 de agosto de 2013 | 23h32
Cley Scholz

SÃO PAULO – O empresário Eike Batista, que já foi chamado pela revista Forbes de “Brazil’s Biggest Loser”, ou o maior fracassado do Brasil, não está mais no topo da tradicional lista dos mais ricos da publicação.
A revista divulgou uma prévia com quinze nomes da lista dos brasileiros mais ricos. E deu destaque para a derrocada de Eike Batista, que já esteve no topo do ranking no ano passado com US$ 30,26 bilhões. Depois de aparecer como o quinto mais rico do Brasil e o centésimo mais rico do mundo no ano passado, o empresário ficou fora da lista dos primeiros 15 mais ricos do Brasil este ano.
Citando as empresas do Grupo EBX como as que mais perderam dinheiro na bolsa de valores brasileira, a revista rebaixou na lista de milionários o homem que ela chamou de ‘o maior perdedor brasileiro’.
loser
 Os altos e baixos de Eike Batista Foto: Fábio Motta/ Estadão
Ranking. A revista diz que as empresas de Eike Batista perderam 60% do seu valor.
Jorge Paulo Lemann,  sócio da AB Inbev, aparece como o mais rico do Brasil na nova lista, com fortuna de R$ 38,24 bilhões.
O ranking com os 124 bilionários brasileiros será divulgado na próxima edição da Forbes Brasil.
Os brasileiros que aparecem no topo da lista são:
1ºJorge Paulo Lemann (R$ 38,2 bilhões)
2º Joseph Safra (R$ 33,9 bilhões)
3º Antônio Ermírio de Moraes e família (R$ 25,6 bilhões)
4º Marcel Herrmann Telles (R$ 19,5 bilhões)
5º Roberto Irineu Marinho (R$ 17,3 bilhões)
6º João Roberto Marinho (R$ 17,3 bilhões)
7º José Roberto Marinho (R$ 17,1 bilhões)
8º Carlos Alberto Sicupira (R$ 16,8 bilhões)
9º Norberto Odebrecht e família (R$ 10,1 bilhões)
10º Francisco Ivens de Sá Dias Branco (R$ 9,6 bilhões)
11º Walter Faria (R$ 9,1 bilhões)
12º Aloysio de Andrade Faria (R$ 8,2 bilhões)
13º Abílio dos Santos Diniz (R$ 7,9 bilhões)
14º Giancarlo Civita e família (R$ 7,7 bilhões)
15º Renata de Camargo Nascimento, Regina de Camargo Oliveira Pires e Rosana Camargo de Arruda Botelho (Cada uma com R$ 7,5 bilhões)

Comentários